Ditadura dos crespos x Ditadura dos lisos

em 25 março 2017

Me segura que hoje vem polêmica! 😂

Antes de me xingarem, senta, pega uma água, abra o coração e leia até o final. Aí, se você não concordar pode me xingar, tá?



Vamos lá!

Eu já falei no blog a minha história e a do meu cabelo aqui e seria bom você ler antes para tentar entender melhor tudo que direi aqui.

Leu? Continuando.....

A mulher negra sempre foi oprimida, seja pelo seu cabelo crespo, seu nariz largo ou seu quadril avantajado. Sua estética sempre foi motivo de piada ou de hipersexualização. Ou a mulher era a nega maluca ou a mulata tipo exportação. O que tem em comum entre os dois? A depreciação da mulher negra e consequentemente a baixa de sua auto-estima.

Claro que durante anos e anos o cabelo liso foi enaltecido, assim como o nariz fino e os traços delicados (mal sabem eles que traços finos não são exclusividade dos padrões eutrocêntricos). A mulher negra, para se enquadrar nesses padrões, faziam absurdos e o mais comum era alisar o seu cabelo. Quem aqui não conhece uma mulher negra que já não sofreu alguma reação ao modificar a estrutura de seus fios, ou se queimou/machucou ao fazer algum processo de alisamento? Histórias como essa são tão comuns que quase se tornou rotineira.


Diante disso e de alguns outros fatos sobre a tentativa de aproximação dos padrões europeus que muitas mulheres negras não admitem o uso do termo DITADURA DOS CACHOS/CRESPOS. Calma preta, vamos entender o porquê desse termo. O cabelo nos foi imposto goela abaixo pois ter seu cabelo crespo/cacheado era coisa de gente suja, gente porca, gente desleixada. Seu cabelo era ruim, pixaim, duro. E eis que, de repente, as mulheres negras começam a assumir seus cabelos naturais. Muito disso com a ajuda da internet (sim, ela pode ser usada para o bem) e muitas mulheres passaram a aceitar a sua estética e finalmente resolveram assumir seus cabelos. E isso é bom? Não, isso é ÓTIMO! Estava ali acabando essa "obrigação" de mudar para ser aceita. Ou aceitam como somos ou sai fora. E isso foi revolucionário. Estava chegando ao fim a obrigação de ser quem a gente não era.

Tá, mas aí você me pergunta: "Mury, depois de tudo que você falou aonde que entra a Ditadura dos crespos/cacheados?"


"Ditadura - é um regime governamental onde todos os poderes do Estado estão concentrados em um indivíduoum grupo ou um partido. O ditador não admite oposição a seus atos e ideias, possui poder e autoridade absoluta. É um regime antidemocrático onde não existe a participação da população."
Fonte: Site Significados

Calma,  agora eu explico. Com toda essa revolução capilar entrou também em cena a palavra empoderamento e prontamente essa palavra foi relacionado com o assumir o cabelo natural. Sim, pois a mulher tinha que ter muita coragem para se assumir nessa sociedade racista e onde sua estética sempre foi caçoada. A mulher empoderada não não se preocupa com a opinião dos outros, ela é poderosa, se assume, se aceita e se ama. Até aí, ok! Mas nem todas, ou melhor, uma minoria (relevante mas minoria) começou a apontar para as mulheres que não quiseram voltar aos seus cabelos naturais. Eu mesma passei MUITAS vezes por isso. Cheguei a pensar que era pessoal mas depois de participar de alguns grupos feministas percebi que não era a única.


Sim, eu entendo que o padrão do cabelo liso nos foi imposto. Sim, o padrão de estética é uma construção social, de tanto ouvirmos e vermos achamos que só aquilo é o certo/bonito.

Também percebi que muitas mulheres não queriam voltar aos seus cabelos naturais, seja porque continuam sendo influenciadas por essa "imposição" aprendida por anos ou porque elas se amavam lisa e não queriam voltar. Tem ainda aquelas que precisam alisar pois precisam de emprego e que nenhum cabelo crespo/cacheado vai conseguir bater de frente com uma sociedade racista que a contrata para alimentar seus filhos. Tudo nessa vida tem que ser visto dos dois lados, se colocar no lugar do outro é primordial.



E é aí que entra a Ditadura dos Crespos/Cacheados. Tem cabelo liso? Sai, você não se aceita ou se vê como negra então não tem lugar de fala. Você é crespa/cacheada então vem aqui e fale o que quiser. De uma hora para a outra ter o cabelo crespo/cacheado era o correto, você não era empoderada pois ainda usava químicas de transformação em seus cabelos. Pera lá, empoderamento vem de dentro da cabeça. Uma mulher pode ser alisada e super empoderada e dona do seu próprio nariz. Ela pode entender sobre tudo o que disse aqui e simplesmente optar pela modificação de seu cabelo.

Eu sei que algumas vão dizer: "Mury, você está exagerando, ninguém impõe nada não." Bem, eu já li em grupos de feminismo uma negra dizer:

- Essa aí tem cabelo alisado, logo não pode opinar!

Oi? Por que não? O empoderamento vem através do meus fios? Então a que usa lace, trança ou e careca não pode entrar na rodinha? Não é assim que funciona, né?

Essa foi uma forma escancarada, uma forma até corajosa de se colocar mas reflete o que algumas outras também pensam. Tanto é verdade que existem alguns bons posts de negras que estão na mídia falando sobre o assunto. Não é um caso isolado, eles têm aumentado na medida que mais e mais mulheres passam a conhecer sobre a luta contra o racismo e o feminismo negro. Eu, que ainda uso meu cabelo liso sou suspeita em falar sobre o assunto mas veja vídeos da Nataly Neri, Gabi do DePretas ou Sá Ollebar e veja que elas também andam falando (todas negras, empoderadas, ativistas e crespas).


O mais importante é praticar a sororidade, temos que ser nós por nós sempre. Se a mana se descobriu ao aceitar seus fios, ótimo. Eu estou em transição e quero que cada vez mais outras mulheres aceitem a sua estética. Mas se ela não quer, tudo bem também. Eu posso explicar pra ela como foi construído esse "gosto" e talvez ela entenda o motivo que a fez alisar e volte ao natural. Ou ela pode ouvir, dar um ok, dizer que teve outros motivos, que não quer ser crespa/cacheada e seguir em frente, se amando e se aceitando. Cada um tem a sua vivência, suas prioridades e sua forma de enxergar a vida.

Vamos todas nos unir e lutar pelo bem comum?

Acho que me fiz explicar. O uso da palavra DITADURA é forte, eu sei, mas é necessário para que todas entendam todo o contexto por trás desse assunto.

Agora podem em xingar!!!!


*todas as imagens foram retiradas da internet


   "Gostou? Curta, comente, compartilhe e nos ajude na divulgação.
Obrigada!"


Acompanhe A Negra e seus Tons:

3 comentários , comente também!

  1. Polêmica é meu sobrenome do meio rsrs, onde que eu assino pra concordar com tudo o que foi escrito aqui?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahah Seu comentário já assinou.
      Obrigada, Elen.
      Bjus ♥

      Excluir

Qualquer comentário que agrida ou ofenda a administradora ou qualquer outro(a) leitor(a) será imediatamente excluído.
Fiquem a vontade para comentar,o espaço é seu.